Ejaculação precoce: quanto tempo é considerado? e mais: tipos, causas e tratamentos.

A ejaculação precoce é muito mais comum do que você pensa. Todas as pessoas com pênis vão ter pelo menos um tipo de ejaculação precoce ao menos uma vez na vida. É isso isso mesmo!

Então, se sinta acolhido(a) neste post, pois vamos explicar tudinho e tentar tirar o preconceito que rola em cima desse tema, esclarecendo sobre as causas, tratamentos e os tipos de ejaculação precoce, além de mostrar que ela não é um motivo de vergonha, e que conhecendo seu próprio corpo, sua vida sexual só tende a melhorar. Sempre!

A ejaculação é a liberação do esperma, coisa que todes que podem fazê-la, querem e querem muito! Afinal, gozar é bom e todos nós gostamos! Mas, quando ela vem cedo demais, aí é outra história… Quando se fala em ejaculação precoce, logo bate a vergonha, a sensação de humilhação e a culpa.

A cultura machista enraizou o pensamento de que o homem, para ter sua masculinidade aprovada, precisa, a todo momento, reafirmar sua vida sexual. E pra isso, gozar rápido está fora de cogitação!

Essa premissa já começa errada, quando nem todos que possuem um órgão genital masculino, precisam se mostrar másculos, porque ao menos se identificam com esse gênero. Outro fato é que, mesmo os homens cis, são prejudicados com a cultura em relação à vida sexual deles.

Quer provas? Pesquisas afirmam que cerca de 30% dos homens brasileiros sofrem com isso, porém, a procura por ajuda é mínima.

Quais são as causas da ejaculação precoce?

“Não aguenta”, “emocionado”, “broxa” e outras falas pouco embasadas cientificamente e muito repletas de preconceito, são constantemente ouvidas por aqueles que passam por isso.

Por isso, as causas da ejaculação precoce precisam ser levadas em consideração e começar a serem vistas com mais seriedade e consciência, pois os motivos que levam até ela são os principais alvos de piada em relação à essa disfunção.

Diferentemente do que se pensa, a suposta falta de virilidade nada tem a ver com as causas da ejaculação. O sexo, apesar de depender da vontade e predisposição, precisa de mais do que isso para ser satisfatório, gostoso e durar mais que que “um minutinho.”

Então, causas como:

  • ansiedade;
  • desequilíbrio hormonal;
  • depressão;
  • uso de determinados medicamentos;
  • problemas de autoimagem;
  • disfunção erétil;
  • e doenças como diabetes e inflamações na próstata;

Colaboram para a ejaculação precoce. O tesão, a libido, a vontade e o desejo estão relacionados ao nosso emocional, físico e psicológico. E não há, em nenhum ser humano sequer, um botão de liga e desliga do prazer.

Porém, por conta da cultura por trás da vida sexual do homem, a ejaculação precoce simboliza fraqueza, impotência, vergonha e outras denominações que não levam em consideração fatores como os que citamos acima.

O que agrava essa situação, é o fato de que buscar por ajuda psicológica, médica, e tratar a autoimagem também consistem em outros motivos de constrangimento entre boa parte dos homens.

Então, ao invés de procurarem onde realmente está o motivo da ejaculação precoce, acabam agravando ainda mais a situação, pois esse problema gera ainda mais ansiedade, problemas de autoestima, desequilíbrio emocional e hormonal, e demais causas que, de fato, propiciam a disfunção.

Quais os tipos de ejaculação precoce?

Existem 4 tipos de ejaculação precoce:

1. Primária

Esse é o grupo mais injustiçado do pessoal, aquela parcela de pessoas que sempre ejaculou rápido, independentemente da idade, situação, tesão, gênero, número e grau.

O motivo? Podem ser alguns, como a genética, pessoas tímidas ou ansiosa desde antes do início da vida sexual ou, pasmem, que sempre estiveram ou estão em ambientes nos quais o sexo é um tabu, como uma família muito conservadora e/ou religiosa.

Ou o extremo oposto: uma criação que pressionava uma masculinidade levada à risca, e uma vida sexual ativa e exacerbada, o que fez com que o indivíduo se tornasse ansioso em relação à sua vida sexual.

2. Secundária

Fazem parte do segundo grupo, aqueles que ejaculavam em tempo normal (não importando o que fosse normal pra ele), e depois de um tempo, passa a ter ejaculação precoce, do “nada”, mas que podem ter como causas, traumas ou um ou mais episódios de estresse, por exemplo. Como um luto, separação etc.

3. Episódica

Por terceiro, mas não menos pior (brincadeira, que fique claro!), são aqueles que ejaculam precocemente apenas de vez em quando, em circunstâncias específicas, e fora dessas situações, se mantém ejaculando normalmente.

Assim, sabe aquele encontro que demorou uma vida pra acontecer? Aquela pessoa que parecia um sonho, mas finalmente rolou uma chance? Ou aquela fantasia que você demorou anos para convencer a pessoa amada a topar? Então… a ansiedade, o nervosismo e a excitação demasiada podem levar a esses episódios.

4. Subjetiva

Ok, precisávamos falar deles aqui, até pra acalmá-los um pouco. Esse tipo de ejaculação, como o nome diz, é subjetiva. Vejamos: alguns homens têm, como mérito próprio, uma constância de atividades sexuais consideradas “demoradas”, e em algumas situações, quando ejaculam antes desse tempo predeterminado, dizem estar sofrendo de ejaculação precoce.

MAS, porém, entretanto e todavia, ainda estão dentro do tempo considerado normal, biológica e fisicamente falando.

Nesse caso, a vaidade é mais determinante do que a ansiedade dos demais casos. Ainda sim, não poderíamos deixar de citá-los, apesar de não se tratar de nada patológico.

Quanto tempo é considerado ejaculação precoce?

Agora que já conhece os tipos, precisamos citar que para efetivar um diagnóstico, é preciso que os quadros de ejaculação precoce ultrapassem 75% das relações sexuais.

Apesar dessa porcentagem estipulada pela Associação Americana de Psiquiatria, os dados em relação ao tempo considerado ejaculação precoce, ainda são um pouco divergentes.

Porque, segundo alguns urologistas, o tempo é de em média um minuto. Porém, para outros, não existe regra de tempo.

Ou seja, vai depender da sua relação consigo mesmo e a interpessoal, de você, com sua ou seus parceiros. Nesse caso, a satisfação pessoal ou do casal é o que determina a precocidade.

Existem casais que se satisfazem com 3, 5 minutos, e há os que acham esse tempo um absurdo e só chegam ao orgasmo com 15, 30 minutos. Sem contar os demoradinhos, que podem manter uma relação, tranquilamente, por horas!

Afinal, prazer e satisfação tratam-se de questões individuais, únicas e cheias de especificidades, de pessoa pra pessoa.

Aqui, portanto, é levado em consideração o incômodo e a insatisfação sexual do indivíduo. Notando algo fora do normal, mais do que na metade das relações, é aconselhável buscar pelo auxílio de um profissional.

Tratamento para ejaculação precoce

Depois do diagnóstico, e agora, o que fazer?

Primeiro, vai depender da causa da ejaculação precoce. Quais foram as causas que levaram até ela? Avaliando os contextos, alguns tratamentos podem ser realizados, como:

  • tratamento psicológico (psicoterapia);
  • remédios que prolongam o tempo da ejaculação ou que regulam os hormônios;
  • produtos tópicos como géis, cremes e camisinhas com efeito retardante;
  • fisioterapia pélvica;
  • exercícios, como o start and stop (parar a atividade sexual nos ápices da excitação), e em alguns casos, a masturbação pré-sexo, bem como exercícios de distração mental (distrair-se, por pensamento, do ato sexual);
  • alimentação saudável;
  • atividade física;
  • boa rotina de sono.

Para se ter um tratamento eficaz, além de reconhecer as causas, é preciso procurar ajuda médica, pois o auto diagnóstico, em alguns casos, pode não ser o mais correto, e então, o tratamento não será eficaz.

No geral, os procedimentos possuem resultados muito satisfatórios, e são feitos desde curto, à longo prazo, dependendo da situação. Com o tratamento certo, pessoas que sofrem de ejaculação precoce conseguem ter uma boa vida sexual e com um ótimo satisfação na hora H!

E pra te ajudar ainda mais, em nosso blog, temos o prazer (literalmente!) de desmistificar conceitos e falar sobre tabus como esse. Inclusive, te contamos sobre como usar um vibrador com a parceira. Isso pode ajudar a estimular a relação e até mesmo auxiliar nos problemas com a ejaculação precoce.

Acompanhe a gente nas redes sociais instagram e facebook. Fique por dentro das novidades!

Gostou? Então compartilhe esse conteúdo!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Artigos em Destaque
Tags
Categorias em Destaque
Anal
Relacionamentos
BDSM
Boquete
Saúde da Vulva
Saúde do Pênis
Fique Conectado
Carrinho

Entrar

Ainda não tem uma conta?

Loja
0 Lista de desejos
0 items Carrinho
Minha conta