Como desenvolver feedbacks sexuais com seu parceiro

Um dos maiores problemas dos casais é a comunicação, tanto quanto para soluções de problemas quanto para feedbacks sexuais.

Neste post vamos ter ajudar a falar o que você pensa, sem ofender ninguém 🙂

É importante sentir-se à vontade para se comunicar com seu parceiro no quarto. Aprender a dar e receber feedback sexual é a chave para ter uma vida sexual plena e satisfatória. 

Porém, pode ser difícil para muitas mulheres falar sobre o que gostam e o que não gostam na cama. Afinal, nem sempre é fácil expressar nossos sentimentos, principalmente quando se trata de algo tão íntimo quanto o sexo. 

Além disso, também não queremos magoar a parceria com algumas opiniões, deixando eles pensarem que estão fazendo algo errado, etc. 

É por isso que hoje falaremos sobre como você pode aprender a comunicar suas necessidades de maneira mais eficaz com seu parceiro, sem mal entendidos e tretas. 


Como dar feedbacks sexuais? 

Estabelecendo limites

O primeiro passo para desenvolver feedbacks sexuais é estabelecer limites com seu parceiro. Isso significa que você precisa ter uma conversa honesta sobre o que você gosta e o que não se sente confortável fazendo na cama. 

  • Falar não NÃO é errado! A pessoa sugeriu, sei lá, um 69? Se não gostar, fale “essa não, mas vamos fazer oral de jeito tal…” 

É importante que vocês dois estejam na mesma página e certifiquem-se de que ninguém se sinta pressionado ou forçado a fazer algo que não quer.

Você também deve discutir quaisquer limites ou expectativas que qualquer um de vocês tenha, para que não haja surpresas mais tarde.

Comunicando-se com seu parceiro

Depois de estabelecer limites, é hora de começar a se comunicar de fato com seu parceiro. 

Comece contando a eles o que faz você se sentir bem ou o que te excita durante o sexo. 

  • O feedback sexual não precisa ser chegar do nada na frente dele e falar “oi, eu gosto de ficar por baixo e odeio que enfie o dedo no meu cool”. 

Ao invés disso, fale “nossa, assim eu gozo rapidinho” quando ele estiver por cima, e quando ele botar o dedo no c*, basta você mesma tirar logo de lá.

Isso os ajudará a entender o que agrada a vocês e pode tornar a experiência mais agradável para vocês dois. Então, dê exemplos específicos em vez de declarações gerais para que eles saibam exatamente o que funciona para você.

  • Não faça enigmas, a parceria não é da turma do Scooby Doo para resolver casos de feedbacks sexuais. Por exemplo, se a pessoa perguntar se você gosta de oral, diga que sim, principalmente quando a língua faz isso e aquilo, blablabla. 

Também é importante dizer a eles o que não funciona para você! Não tenha medo de deixá-los saber se algo não é agradável ou se o deixa desconfortável de alguma forma.

Até porque, isso os ajudará a entender melhor a melhor forma de agradá-lo no futuro. Se algo não estiver funcionando durante o sexo, abra a boca e fale! 

Quanto mais cedo eles souberem, mais cedo eles poderão se ajustar de acordo e garantir que todos os envolvidos gozem lindamente. 

Feedback Sanduíche, mas com feedback sexuais

No mundo corporativo existe uma técnica usada para passarmos um feedback aos colaboradores, até porque, sabemos que é difícil falar sobre o que a outra pessoa precisa melhorar. 

Ela se chama técnica sanduíche: 

Você começa falando bem, fala o que não gosta ou que precisa melhorar e termina falando bem novamente, por exemplo:

  1. Eu adoro quando você está afim de fazer sexo e começa me acariciar e me beijar, mas antes de você colocar a mão direto na vulva, poderiámos passar mais tempo beijando, afinal, adoro seu beijo.
  2. Amo quando você faz sexo oral em mim, isso me dá muito prazer só não gosto quando você suga meu clitóris muito forte. Apesar disso, gosto muito quando você beija minha vulva.
  3. Curto quando você me pega de jeito e puxa meus cabelos, mas poderia puxar eles com menos força, pois às vezes dói.

Dessa forma, a pessoa sente que não está tudo errado, só alguma coisa que precisa ser ajustada. 

Os feedbacks sexuais devem ser o famoso morde e assopra, para não ferir o ego e não desencorajar ninguém. Combinado? 

Reforço positivo

O reforço positivo pode servir para complementar o feedback sanduíche depois que a pessoa mudou o comportamento. Vamos pegar o exemplo anterior:

  • adorei como você fez o oral hoje,
  • adorei como você puxou meu cabelo na cama.

Isso faz com que a pessoa entenda que o jeito que ela fez está certo ou que você gosta de determinada coisa.

Se você está com a pessoa, com certeza algumas coisas que ela faz, tu gosta bastante, né? 

Então, comece a elogiar mais essas paradas, assim a parceria irá se lembrar que você gosta, e fazer mais vezes. Ou seja, ela meio que esquece as posições que não são tanto da sua preferência. 

Deu para entender a lógica desse feedback sexual? 

Conclusão sobre os feedbacks sexuais 

Aprender a melhor forma de comunicar feedbacks sexuais com seu parceiro pode exigir alguma prática, mas vale a pena o esforço! 

Estabelecer limites antes de fazer sexo garante que ambos os parceiros se sintam seguros e respeitados, enquanto a comunicação durante o sexo ajuda cada pessoa a entender melhor como agradar.

Portanto, isso torna a experiência mais fod@ (literalmente) para todos os envolvidos! Não tenha vergonha de falar, principalmente se for mulher que transa com macho, até porque, você sabia que homens também têm inseguranças sobre sexo?

Dedique-se algum tempo hoje (à noite, pode ser!) e experimente estas dicas. 

Garantimos que falar não apenas melhora sua vida sexual, mas também aproxima os dois como casal! Divirta-se! 🙂

Aproveita e segue a gente nas redes sociais para não perder nada!



Gostou? Então compartilhe esse conteúdo!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos em Destaque
Tags
Categorias em Destaque
Anal
Relacionamentos
BDSM
Boquete
Saúde da Vulva
Saúde do Pênis
Fique Conectado
Carrinho

Entrar

Ainda não tem uma conta?

Loja
0 Lista de desejos
Minha conta
Menu